Planejamento estratégico: como ele pode ajudar a sua empresa?

18 de setembro de 2020 às 10:41

Você tem o hábito de planejar estratégias para o seu negócio ou vive uma rotina tão corrida que não sobra tempo para isso? 

Caso você tenha respondido a pergunta acima e não tenha gostado da resposta, não se preocupe, você não está sozinho. Em meio ao caos, poucos são os empreendedores que conseguem parar e pensar em ações para desenvolver o próprio negócio.

Mudar esse cenário não é fácil, mas pedimos um pouco do seu precioso tempo para te apresentar o importante Planejamento Estratégico e te mostrar como ele pode mudar a sua empresa.

O que é Planejamento Estratégico?

Planejamento estratégico é um mecanismo utilizado por gestores e líderes para pensar nos resultados de um negócio a longo prazo. Ele auxilia na tomada de decisões e guia a empresa para alcançar seus objetivos. Acima de tudo, o planejamento estratégico ajuda no crescimento de um empreendimento.

Para que serve?

Mais do que apenas planejar, fazer isso de forma estratégica é uma maneira de estar sempre preparado para lidar com as adversidades que surgirem durante o dia a dia da empresa.

O planejamento estratégico ajuda a ter uma visão ampla sobre toda a realidade do seu negócio, mostrando quais são os passos que você deve seguir para chegar até seu objetivo. Com ele, você tem um guia para todas as ações tomadas daqui para frente, facilitando no gerenciamento de tempo e recursos gastos nos seus projetos.

Quem precisa?

É possível que você esteja pensando que esse tipo de planejamento seja algo exclusivo das grandes empresas. Entretanto, essa ideia não poderia estar mais errada.

Desde a pequena empresa até as multinacionais, o planejamento estratégico é algo que pode auxiliar a todos. Ter uma base e saber como seguir é útil em todas as situações.

Uma empresa que se planeja tende a sair de eventuais problemas e imprevistos mais facilmente.

Como se planejar?

Traçando um objetivo

Para pensar de forma estratégica é preciso, em primeiro lugar, ter um objetivo. Isto é, saber onde se quer chegar. Então, para começar, procure responder a seguinte pergunta: “quais são os objetivos do meu negócio?” 

Esse é um passo imprescindível, pois, uma vez definidas as metas que você pretende atingir com a sua empresa, fazer um planejamento estratégico será muito mais simples. 

Mas tenha cuidado para não se prender ao medo de estabelecer objetivos altos demais. Toda meta pode ser atingida, desde que haja planejamento e empenho para tanto. Pode ser, por exemplo, que o seu desejo seja tornar a sua empresa referência dentro de seu segmento de atuação. Ou pode ser que você queira transformá-la na maior rede de franquias do seu estado. Quem escolhe é você. Não há nada errado em sonhar grande.

Analisando o negócio

Depois de definir objetivos, é hora de analisar o seu negócio. Existe um mecanismo conhecido como Análise SWOT que é perfeito para isso.

SWOT significa, em tradução livre, Forças (Strengths), Fraquezas (Weaknesses), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats). Nela, você começa a olhar para dentro da sua empresa e analisá-la sob cada um desses aspectos.

Em forças, coloque o seu diferencial, os motivos que levam os seus clientes a optarem pelo seu negócio. Ao analisar asfraquezas, pense nos pontos internos que podem estar dificultando a sua operação. Em oportunidades, olhe para o mercado e busque quais são os fatores externos que podem beneficiar a sua empresa. Da mesma forma, em ameaças, procure encontrar os fatores desfavoráveis à ela.

Definindo as pequenas metas

Bom, agora que você já tem em mãos o seu objetivo e também uma análise bem feita da sua empresa e do mercado externo, está na hora de descobrir como chegar onde quer.

O ideal é dividir o seu caminho em objetivos menores para, aos poucos, chegar onde quer.

Para isso, pense no seguinte exemplo: o objetivo de uma padaria é se tornar referência na produção de doces artesanais no seu estado. Pode parecer ambicioso, não é? Mas é completamente possível.

O dono da padaria, então, pensa nos seguintes detalhes: o marketing necessário, os possíveis tributos a serem pagos além do habitual, a contratação de um profissional especializado em confeitaria, a presença em congressos e eventos.

Para se tornar uma referência, é necessário ser conhecido. É por isso que o nosso empreendedor sabe que precisa investir em marketing. Aqui está a primeira pequena meta. É preciso ter recursos suficientes e, também, conhecer o mercado. Da mesma forma, acontece com os outros pontos citados.

Controlando as finanças

Tendo o seu planejamento estratégico em mãos, é hora de olhar para o caixa da empresa. Se os processos necessários para alcançar os objetivos envolvem custos, é preciso saber em quais aspectos se pode economizar e quais se pode gastar mais. 

O seu plano serve para que seja possível visualizar os gastos necessários e, com isso, permitir que você saiba como chegar lá. Se você está com problemas financeiras, esse mapeamento o ajudará, também, a encontrar formas de encontrar mais recursos.

Existem alguns custos que você não poderá abrir mão, como os tributos e demais obrigações fiscais. Então, o desafio é conciliar todos os gastos e ainda sair no positivo.

Acompanhamento

Agora que você possui o seu planejamento estratégico feito e já sabe como vai organizar as finanças, é necessário acompanhar o andamento das suas ações.

Para isso, crie indicadores para monitorar as pequenas metas. Se a nossa padaria do exemplo precisa contratar um novo confeiteiro, será preciso saber se está agradando. Pode ser por meio de pesquisas, ou analisando se houve um aumento no número de vendas.

De alguma forma, esse pequeno empresário precisa saber se as suas ações estão sendo efetivas. Caso não estejam, novas atitudes precisam ser tomadas.

Planejamento na sua empresa

Agora que você possui uma boa ideia de como implementar o planejamento estratégico na sua empresa, deve estar fervilhando de novas ideias e cheio de vontade de tirá-las do papel. Para te ajudar nesse momento, queremos falar do Planejamento Tributário.

Ele é um produto da Dr. Fiscal para cuidar justamente de um dos pontos mais delicados: a escolha do regime tributário. Nós analisamos os últimos doze meses de lançamentos fiscais e contábeis e, a partir deles, conseguimos dizer qual o regime ideal para a sua empresa.

O benefício? A partir dessa escolha, você não gasta mais do que o necessário e economiza recursos que seriam utilizados para pagar tributos que não incidem sobre o seu regime.

Procure um de nossos franqueados e agende uma consulta para conhecer melhor o que podemos fazer pelo planejamento e futuro da sua empresa.

compartilhe
Thiago Vargas
Escrito por
Thiago Vargas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.
$("form.mailster-form.mailster-form-submit.mailster-ajax-form.mailster-form-4 select#mailster-assunto-select-4").change(function(){ var select = $(this).children("option:selected").val(); $('form.mailster-form.mailster-form-submit.mailster-ajax-form.mailster-form-4').attr('name', select); });