4 dicas para sobreviver a uma crise financeira

Ao abrir uma empresa, a última coisa que se deseja pensar é em como lidar com um possível fracasso. Porém, diante das circunstâncias atuais do mercado financeiro, é praticamente inevitável deparar-se com uma crise suficientemente capaz de comprometer não só a saúde, como a própria existência de um negócio.

E, quanto mais jovem for a empresa, mais riscos ela corre. Uma pesquisa divulgada em 2017 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE mostrou que 60% das empresas brasileiras fecham as portas antes de completarem cinco anos. Em outro dado, também pesquisado e divulgado pelo IBGE, nos últimos três anos 719, 6 mil empresas brasileiras faliram.

Estes dados são preocupantes e podem aterrorizar os empreendedores, mas, para não ser pego de surpresa, ou até mesmo para sobreviver a crise que já alcançou o seu negócio, é preciso buscar alternativas inovadoras e assim destacar-se no mercado, mesmo em tempos difíceis.

Abaixo, seguem algumas dicas para inspirar:

1)     Enxergue o potencial das ideias:

Não raramente descarta-se ideias sem antes mesmo explorá-las. Por mais que, à princípio, uma ideia pareça ruim ou sem sentido, tente extrair o máximo que puder dela antes de desconsiderá-la. Pode ser que a mudança que sua companhia precisa esteja escondida atrás daquele seu pensamento ‘insano’.

2)     Arrisque-se:

Arriscar talvez seja o verbo mais temido por empreendedores, ainda mais em tempos de crise; mas, arriscar, na medida certa, pode ser fazer toda a diferença.

Se um projeto tem, segundo suas pesquisas, estudos e cálculos, potencial de dar certo, mas ainda há medo de colocá-lo em prática, vale a pena investigar a raiz dessa incerteza e combatê-la com um pouco de ousadia. Riscos calculados merecem uma chance em qualquer organização.

3)      Transforme:

Estar no mesmo segmento de uma outra empresa não significa que você deve agir da mesma forma que ela.

Pergunte-se o que pode ser oferecido, única e exclusivamente, pelo seu negócio. Quais são os pontos que lhe diferenciam da concorrência, e por quê o seu público alvo deve escolher os serviços que são prestados pela sua instituição.

Não forneça apenas mais do mesmo, transforme a sua empresa, serviço ou marca em algo digno de destaque, para então ser lembrado por sua singularidade.

 4)       Faça um Diagnóstico:

Um dos maiores desafios das pequenas empresas é a manutenção de uma base de cadastro tributário de produtos corretamente classificado. Todos os dias, dezenas de normas tributárias sofrem mudanças e exigem atualização constante, e isso pode acabar gerando prejuízo para a empresa. 

Portanto, submeter a empresa a um diagnóstico tributário pode ser uma estratégia interessante para prevenir uma crise financeira, pois verificará, com precisão, qual o real estado de saúde da organização. 

Consultorias especializadas, como a Dr. Fiscal, adotam processos de verificação de dados que levam em consideração toda a base de produtos da empresa, e confrontam-os com as regras fiscais vigentes. Assim, é possível verificar se a empresa está tributando corretamente e realizar ajustes que resultarão em mais dinheiro no caixa – o que afastará ainda mais as chances de um colapso financeiro acontecer. Saiba mais aqui.

O ponto principal destas dicas é conhecer o seu trabalho, pois é partir disso que se poderá agir para salvar, estabilizar e impulsionar sua companhia, seja qual for o problema que ela esteja enfrentando neste momento. Tente exercitar sua criatividade e tecer novos planos e estratégias para atrair novos clientes, investidores e assim alcançar reconhecimento e solidez, mesmo que, ao redor, todos estejam desmoronando.